Divulgada tabela do INSS para 2019

Os benefícios pagos foram reajustados em 3,43% a partir de 1º de janeiro de 2019.

às 08:57:06 por

Foi publicado no Diário Oficial da União no dia 16 de janeiro de 2019 a Portaria n.º 9, de 15/01/2019 onde reajustou os benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS. Os benefícios pagos foram reajustados em 3,43% a partir de 1º de janeiro de 2019.

O reajuste tem como base a variação do INPC no ano anterior, anunciado na sexta-feira (11) pelo IBGE, e também tem reflexo na tabela de contribuição trabalhadores domésticos.

Salário Família a partir de 01/01/2019

Salário                   Valor unitário da quota (por filho)
até R$ 907,77          R$ 46,54
de R$ 907,78 até R$ 1.364,43 R$ 32,80

Tabela do INSS - Salário de Contribuição da Previdência Social ao segurado empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso, para pagamento de remuneração a partir de 01/01/2019.

Salário de Contribuição            Alíquotas (%)
até 1.751,81                                8,00
de 1.751,82 até 2.919,72            9,00
de 2.919,73 até 5.839,45 (*)       11,00
(*) O valor máximo do INSS do segurado empregado é R$ 642,34

Neste ano, o reajuste concedido foi menor que o do salário mínimo, que em 2019 aumentou 4,61%, passando de R$ 954 para R$ 998 no dia 1º de janeiro. Em 2018 e 2017, o reajuste para os aposentados e pensionistas que recebem acima do salário mínimo foi superior, interrompendo uma sequência de 19 anos de percentuais inferiores.

Pela lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte pagas pelo INSS não podem ser inferiores a 1 salário mínimo.

Reajuste para quem começou a ter o benefício em 2018
Veja o percentual de reajuste, de acordo com as respectivas datas de início da concessão do benefício:

● Até janeiro de 2018: 3,43%
● Em fevereiro de 2018: 3,20%
● Em março de 2018: 3,01%
● Em abril de 2018: 2,94%
● Em maio de 2018: 2,72%
● Em junho de 2018: 2,28%
● Em julho de 2018: 0,84%
● Em agosto de 2018: 0,59%
● Em setembro de 2018: 0,59%
● Em outubro de 2018: 0,29%
● Em novembro de 2018: 0
● Em dezembro de 2018: 0,14%

Fonte: DOU e G1